domingo, 10 de maio de 2015

Ode ao escuro

Cega-me
Afasta de mim essa luz
Que entre em meus olhos
E ilumina meu cérebro

Cega-me
Me permita sentir e não ver
Me permita a descoberta lenta
E mergulhar-me em odores

Afasta-me da ressaca
De estímulos visuais
Que me acorrentam
No mundo viciante

Nenhum comentário:

Postar um comentário