segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Seu, Meu, Nosso

Nossos corpos se entranham de tal forma
Que nossas almas se tocam.

De toda carne trêmula e labios avermelhados,
Pele eriçada e olhos revirados,
Surgem entre gemidos e suspiros juras de amor.

Entre sorrisos e olhares,
Mãos espalmadas,
Apertam, batem e acariciam.
Tantos contrastes,
Entre dor e prazer,
Que levam tardes eternas,
E transformam cada segundo ,
Cada detalhe,
Em algo inesquecível.

Você me traz a vida,
Me leva a pequenas mortes,
Em paraísos sinestésicos,
Onde apenas nós dois habitamos,
Onde apenas nós dois bastamos,
E transformamos tudo em prazeres intermináveis.

Nos pertencemos e nos sentimos,
Inteiros, por cada pedaço,
Sentido por toda parte.

E nossos corpos se tocam,
E nossas almas se entranham.

Nenhum comentário:

Postar um comentário