quarta-feira, 10 de julho de 2013

inlugar

O tempo é um suspiro,
Lento e interminável
Concreto como as nuvens
Que nossa imaginação tenta controlar

O meu tempo,
Já passou e ainda está por vir
anuncia-se e despede-se
e cada segundo do relógio

Habito em um tempo vácuo,
Incerto, estilhaçado
Perfurante e cortante
Que fere os estático e a quem tenta se mexer

Meu tempo não é época
Sequer história
É descartável e plástico


Nenhum comentário:

Postar um comentário