terça-feira, 7 de maio de 2013

Do nada ao nada

Faça do silêncio seu eterno sepulcro
Pois nada mais há pra ser visto ou dito
Se a existência não mais tem motivo
A cova funda é o melhor dos destinos
E quem sabe frente a lápide
Em raras datas alguém nãos e encontre

Nenhum comentário:

Postar um comentário