sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Momento do horizonte

Ao redor, água.
O mar calmo
A brisa leve e constante
Sopra minha vela
Faz meu barco vagar por águas sem terras
Sem nenhuma terra

Debruco sobre a proa
e vejo a agua deslizar sobre o casco
E mil ondulacoes se formam

A agua trepida,
E novamente volta a se acalmar

O céu limpo,
Vazio de nuvens
Céu e mar azul
Sem nada
Somente eu e meu barco
Vagando

Não mais procuro terras
Não mais procuro portos
Meus pes ja se acostumam a ondulação
E do mar tiro tudo que preciso

O mar e eu
Como um só
É o que basta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário