domingo, 23 de dezembro de 2012

Cerejeiras

De repente tudo acontece assim... De repente
Como repentista que improvisa e acelera
Sem saber o que vem pela frente

E os sonhos mudam
E os olhos mudam, assim como os sorrisos e pensamentos
A efemeridade como a única concretude existente
Que pesa e é levada pela mais leve brisa


Nenhum comentário:

Postar um comentário