quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Preciso beber os cacos de meu tempo
Mas a efemeridade é tão amaga ao paladar
Que regugito

Nenhum comentário:

Postar um comentário