sábado, 25 de agosto de 2012

Esse poema deveria ser por imagens
pois ele exige movimento
Vento cabelos braços abertos chuva fina e sorriso
direitos a 25 anos de flash backs e de uma edição enloquecedora
intercalando todas as sensaçoes
Esse poema é para sentir na pele
sentir o cheiro e o toque
e mesmo as vontades e emoçoes
das bochechas doendo de rir ate a mais leve respiraçao ao vento
Da completude ao vazio
Esse poema é um rememorar de uma vida
de momentos antigos e recentes
Das mais profundas e únicas sensações
Vem e me abraça, dança comigo suavemente a noite toda
E novamente me ponha para dormir
agradeço sua presença.
seu sorriso seu toque e seu incrivel olhar que me fez encantar os céus
Me leva as estrelas e me acaricia acaricia minha vida desconexa
E mostra que a linearidade é dos tempos o tempo mais falso
Me descontroe como sempre
Me transforma em areia e me envolva em seu tempo
e deposite me de grao em grao

Nenhum comentário:

Postar um comentário