sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Os ponteiros seguem sua jornada
Sempre o mesmo caminho
O mesmo giro e a sua dança própria
Singular e lenta
Cada segundo é um segundo
E cada momento único
Seu ritimo sempre marcado
É sentido no pulsar do coração
O tempo se faz presente
Presente que mescla com futuro
Traz o passado
Mas se mantém unico
Se resume ao instante
A gota que cai
A folha que flutua
Ao piscar dos olhos
Ao suspiro, ao espasmo
O tempo que constroi
O instante cria

Nenhum comentário:

Postar um comentário