sábado, 12 de fevereiro de 2011

A força do chaos

Busco a efemeridade
Para desconstruir o que há de concreto
E sublimar o que há de essencial
Pois o imaterial é o que há de mais concreto

Das areias o menor grao
Da pedra o pó
Da agua a sensação
A volatilidade
Que reduz a pedra ao grão
E conduz o grão por seus próprios caminhos

Da terra p ar
Que retira a mais profunda raiz
Arrasta o que for pra onde quer
O intocável
O invisível
A realidade na sua veracidade maior

Nenhum comentário:

Postar um comentário