sábado, 22 de janeiro de 2011

Marca d'agua

Seu amor errante
Por minutos desejado
Seu véu fácil
E minha entrega desconfiada
Palavras soltas, estranhas
Conversas, gestos
Relações de anos
Fragmentos de segundos
Me sentia enganado
Como se me tentasse
Hipnotizasse
Nunca com provas
E você sorria
Fazia sua marca
Simples
Da memória apenas
Não da minha
Da sua
Sua vida
Seus instantes
E as feridas
Por mim temidas
Ilusões
Minhas
Jamais suas
Da minha vida
Dos meus instantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário