terça-feira, 17 de agosto de 2010

Na escuridao de seus olhos
Na profundidade de seu olhar
Como na noite escura estrelada
Possui o sublime brilho
O qual me perco feito caos
O caos de um infinito imensurável
O caos de um sentimento inimaginável

Nenhum comentário:

Postar um comentário