terça-feira, 31 de agosto de 2010

Tenha saudade
Agora verdadeiramente sinta a distancia do seu amor
distancia que apenas você criou
sentimentos nao são regidos pela fisica
sinta falta do meu R e do meu amor exagerado
do romantico apaixonado e da presença talvez ja insuportavel
não sentirá falta, passará como a pagina do livro em suas mão
e quando acabar de ler não terá mais lembranças minhas, será um livro terminado
Você não estava nela,
mas senti que estava perto, tao perto de um sonho
que sonho é esse a qual nunca consigo dormir
ei! onde estiver saiba que estou aqui, mesmo que nunca nos encontremos eu te amarei mesmo sem te conhecer
seus olhos seus sorrisos, e farei poemas pra você, e dançarei contigo
andarei pela praia verei as estrelas e pensarei nas outras querendo estar contigo
você era tão real, real até demais
demasiadamente real para um sonho
nossas maos nossos olhares
e parecia tão certo aquele caminho ondulado
mas pra quem nasceu nos calçadoes de copacabana
sabe que podemos ate brincar em caminhos tortos
preto ou branco eu corro você corre
pena, que pena, o sonho era real
e na realidade nao podemos voar, nem ir tão profundo porque nos faltará ar
não tenho medo da falta de ar e espero que um dia alguem se afogue do meu lado

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

dont look back in anger

Quero andar e caminhar a vida
sentir o sol queimando e o vento brincando em meus cabelos
quero poder sorris e me admirar com qual seja a paisagem
ver o mundo com a surpresa de um eterno primeiro olhar
e ter a paz e alegria de quem redescobre a vida
ao lado de uma crianca que da seus primeiros passos
Olhar o céu ou mesmo a terra
O mar calmo ou agitado
E não distinguir mais os dias e as noites
o sol e a lua, já que as estrelas estão sempre lá
E desejar que também sintas isso
que respire que dance que gire
se encante com o mundo e tenha sempre o primeiro olhar
e sorria, sempre sorria e brinque
como uma criança a correr nas areias de uma praia qualquer.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Como faço para voltar a ser criança?
Encolher e ter pensamentos ingenuos
simples ludicos e leves
sentir pequenas sensaçoes como se fossem monstruosas
sorrir e brincar sem compromisso

Agora inicio uma nova busca, quero a leveza
girar e ser tao leve a ponto de me perder nos ares
saco...
coração a mil
fome a zero
ansiedade total
assim como inercia para o restante
quando isso vai ter fim?
sinceramente? acho q nunca o fim é total
e qdo ta td ok... pimba! algo vem e confunde td
pq os passaros nao podem ficar apenas pousados?
Ilusões, ilusões, ilusões
nada passa de ilusões
porque de tantas rasas miragens?
De todas as nossas datas sónão decorei uma
a de nossa separação
acho que já fariamos um ano
não tem como não pensar em você quando fico entre incertezas

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Muros

Vago entre a estabilidade e a aventura
Questiono cada passo em falso e cada segundo de rotina
Saio pelas ruas sem rumo, mas volto cedo para dormir
Medito e esvazio a mente no caminho do trabalho
No mesmo, penso em todos futuros possíveis
Nas ruas encontro aqueles das inc´riveis incertezas
E me questiono, Há certeza certa?
O quanto hoje é presente...
E o quanto o amanhã é aquele velho presente, sem surpresas
Filosofo sobre o controle do tempo.
Nosso descontrole
Escrevo poemas sobre rotina e tempo
Mergulho em estranhas paixões profundas
Imaginando que agora encontrei a pessoa certa
Tão certa que me trás inseguranças e incertezas
No abstrato procuro formas
Meu sentimentos tão presos em mim, que as vezes nem se manifestam
Me sinto uma gaiola de mim mesmo
Um pássaro entre dois muros
Tão próximos que não se consegue levantar voo
Os muros invisíveis? Da certeza e da incerteza


Ps. Poemas nos planejamentos diários que quando consigo fazer, quase nunca se conseguem cumprir.
Sou um passaro entre dois altos muros
a certeza e a incerteza
altos o suficientes para nao me deixar voar
muros que aplacam o infinito
só há um meio de voar...
entre eles,
nao tem como ultrapassa-los..
podemos ate posar as vezes
mas faz parte da natureza dos passaros voar
Será que é necessário mudar?
Chegou essa hora?
O medo de mudanças é o desconhecido e suas consequencias

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Pq prega peças em mim
Pq o maya sempre cobre minah visão
o interno treme
o externo mostra-se nebuloso
as expressoes nao sao nitidas
rebuscadas embassadas mutiladas
e a pele
a pela ja nao eh a mesma
ja nao a sinto como antes
agora o interno está solido
pesado
me individualizo e me sinto unico
sem contatos sem fluidos
a alma presa
a sensaçao angustiantes
das piores
como pode coisas tao distintas
e o caminho quando se ramifica..
se voce for apenas o um, o individuo se ve obrigado a tomar escolhas
surgem as duvidas
no multiplo nao a escolhas ha caminhos
todos trilhados
a inercia so eh quebrada por uma força externa
e se tudo se locomove nessa resultanets nao há o caos
o caos eh da força externa
quebra o solido o individuo
o expande e o força a criar outras ligaçoes
ser uma teia gigantes do tamanho infinito
e nao uma semente
só, dependente..que a qualquer momento apodrece
"mas eu sei que alguma coisa aconteceu tá tudo assim tão diferente"

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Minutos... Segundos...

Te vi, seus olhos sorriram pra mim.
O tempo poderia ter parado,
Ficaria ali tranquilo em seus braços
Sua respiração, seus cabelos, seu toque
Decorava-te com os olhos,
Tentava gravar na alma o que parecia ser irreal
Aquela sensação e aquele sentimento
Inexplicável, abstrato
Provando que não há definição para tudo,
É necessario se entregar e apenas sentir.
Sua mão em minha mão.
Seus lábios em meu rosto, em meus lábios...
Meus braços cruzados ao seu redor,
Caricias... carinhos...
Dos mais bonitos e puros..
Respiração suave e aflita.
Meus olhos se perdiam nos seus
Meu coração em seus risos
E minha alma em seu jeito...
Incrível, encantador
Torcia para o tempo parar
Não queria me ver sozinho novamente
Tendo a saudade como companheira
Mas que grava cada momento...
cada segundo...
Imortalizados, únicos...
Insubistituíveis...
Assim como você...
Menina, Menino
Sorrisos, olhares, abraços, beijos...
E o tempo não parou
Nem mesmo esses momentos
Agora contínuos...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Será que ainda existe lugar para os românticos?

Para minha menina

Batidas fortes, respiração acelerada
Meus olhos te buscavam na multidão
De um lado para o outro andava em aflição
Minutos... Segundos...
Te vi e seus olhos sorriram pra mim.
Naquele momento o tempo podia ter parado
Ficaria ali tranquilo em seus braços
Sentia sua respiração, seus cabelos, seu toque
Tentava te decorar com os olhos,
Gravar na alma o que parecia ser irreal
Enfim aquele beijo novamente,
Aquela sensação e aquele sentimento
Inexplicável
O abstrato existe
E nos prova que não podemos definir tudo,
As vezes é necessario se entregar
E apenas sentir
Sua mão em minha mão
Seus lábios em meu rosto, em meus lábios...
Meus braços cruzados ao seu redor,
Caricias... carinhos... dos melhores!
Dos mais bonitos, puros..
Respiração suave e aflita ao mesmo tempo
Meus olhos se perdiam nos seus
Meu coração se perdia nos seus risos
E minha alma em seu jeito...
Tão incrível e encantador
E ali torcia para o tempo parar
Não queria me ver sozinho novamente
Sem você, distante com aquela saudade que chega dói
Mas que faz cada momento e cada segundo serem gravados
Imortalizados e únicos
Insubistituíveis...assim como você...
Menina, Menino
Sorrisos, olhares, abraços, beijos...
Momentos, contínuos em minhas lembranças.
Eu descubro quando estou apaixonado quando o lixo não vai pro lixo

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Reformas

O velho porto seguro se reconstrói
Preferi não abandona-lo, jamais
Servira como base para um porto tão bom e seguro quanto ao que foi
Utilizar das velhas formas e dos velhos materiais como inspiração e suporte
Mas é necessário aprimorar, sempre!
Cada navio é um navio e cada mar traz sua própria corrente

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Na escuridao de seus olhos
Na profundidade de seu olhar
Como na noite escura estrelada
Possui o sublime brilho
O qual me perco feito caos
O caos de um infinito imensurável
O caos de um sentimento inimaginável

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Hoje a ventania veio me tocar
A natureza se aproxima, me chama, me cutuca
Cada nosso envolvimento?
Cade a busca dos pequenos sentidos?
Devo pensar mais no etéro da pele
Voltar a gruta da grande mae

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

" Quem é você?
De onde surgiu o acaso que veio se transformar em destino?
De quem é seu sorriso? Sua voz, seu cheiro?
Posso rouba-los pra mim?
Posso tê-la pra mim?
E essa alegria e completude que sinto,
Me invade e toma a alma.
Apenas a alma pois meus pensamentos já são seus.
Quero agora apenas poder estar do seu lado
Sentir aquele olhar que transborda no meu âmago
E poder te-la entre meus braços, respirar seu ar e saborear o seu beijo. "