domingo, 2 de maio de 2010

Um novo aperto

É tão ruim sentir isso
Foi tão bom lembrar como era sentir aquilo
Foi...frustrante um acontecimento do inexperado
é tão ruim ter que recorrer a antigas lágrimas ara não cairem novas
é tão ruim ter que lembrar de antigos abraços que ja se foram
como é estranho relembrar de um porto que não mais existe
e tentar ainda nele ter como referencia a segurança

é tão ruim o vazio,
o vazio esse é o pior
quando por tempos achei que a dança tinah enfim encontrado seu par
..mas pq seria tão facil?
pq evitamos de dançar sozinhos
pq guardar aquilo que nos fere?
seria mais facil encarar a falta da essencia
por mais que a amterializaçao nao etnha se concretizado
mas nao quero novas lagrimas
as antigas ja em bastam
e quem sabe ate não me confortam

quem eu sou quem eu fui?
nem eu mesmo sei
pq nao tento ser pra mim quem eu quero que seja por mim
sera tao dificil se bastar?
alias a gente pode se bastar?
pensar que no mar que sempre quis mergulhar,
hoje nem muito tempo fiquei
como uma metafora estranho e tao concreta
vejo que o mar as vezes nao nos traz prazer
Mas afinal, aonde está o prazer
E porque o queremos tanto

Por que existe ideias se o mundo das ideias jamais sera alcançado
o amor sempre explode
isso demonstra sua grandeza e sua finitude
Sera que a intensidade tem alguma correspondecia com a duraçao
qual é o tempo minimo de um amor?
qual é o tempo maximo de um amor?
E o tempo quando ele vai congelar ja que nunca ele para
estaos fadados a andar e caminhar
se estamos com sede ou fome nao interessa ao tempo
Afinal as leis sao leis elas nao se preocupam com nossos sentimentos
a maça há de sempre cair
a maça há de sempre nos envenenar
e sempre trará um pouco de nossa verdade interior
nao verdade, fraqueza.

onde melhor que em um espelho para ver nossa fraqueza
onde melhor que na alma pra sentir nossas feridas
Qual é o tempo minimo da dor?
Qual é o tempo maximo da dor?
Poderia a intensidade ter alguma relação com a duração?

"amor é dor que arde sem se ver"

Nenhum comentário:

Postar um comentário