terça-feira, 27 de abril de 2010

Internidade

Quero agora poder parar o tempo
Em um momento em que nada se mova
A não ser nós dois
Um momento que possa ser eterno por nao ter tempo
Poder sorrir e olhar nos seu olhos
Sentir seus cabelos em meu ombro e enfim fechar os olhos
E entrar em um estado supra normal
E naquela sublime cançao que é o amor
poder voltar a me comunicar sem a fala
sentir sem tocar
e suspirar pensando

Que o tempo pare que o mundo pare
Congele até mesmo o brilho das estreals
Congele tudo, e quanto a nós..
sobreviveremos aquecidos um ao outro

Que esse labirinto me leve de um modo cego
pois a paixão é cega e cegas são as emoçoes
que não haja razão nem raciocinio
que isso não entre em nosso mundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário